A ILUSÃO DO BEM-ESTAR ANIMAL

Devemos acreditar quando as indústrias falam em “bem-estar-animal” ?
Note o que diz o filósofo americano Tom Regan em seu livro “Jaulas Vazias” :
“Estes porta-vozes das grandes indústrias de exploração animal falam maravilhas a respeito de “tratamento humanitário” e “bem-estar animal”, mas o que eles fazem não condiz com o que eles dizem.”

Como vivem os animais ?
Os anúncios das indústrias de produtos de origem animal nos sugerem a idéia irreal de que os animais vivem soltos respirando ar fresco nos campos de belas fazendas.
Na realidade, a maioria deles está confinada em enormes unidades de criação intensiva.
Seguem abaixo algumas práticas costumeiras da pecuária industrial que ela procura esconder do grande público. Ao tomarmos conhecimento damos um importante passo para o fim da opressão.
- Suínos : castração e corte da cauda dos porquinhos sem anestesia. Confinamento intensivo em ambientes superlotados insalubres, sujeitos a doenças respiratórias como a pneumonia. Sucessivas gestações de porcas usadas como máquinas reprodutoras, mantidas a maior parte de suas vidas em celas individuais minúsculas restritivas, impedidas de se virar ou exercitar. Transporte para o matadouro expostos a temperaturas extremas.
- Bois : castração, marcação e retirada dos chifres sem anestesia. Do pasto são enviados para currais de engorda.
- Frangos e perús : alimentação com drogas que induzem o crescimento, como os antibióticos. Confinamento intensivo em galpões apinhados (estresse).
- Gansos e patos : são submetidos a alimentação forçada por empanturramento através de um cano colocado na garganta para produzir fígado gordo. A produção deste tal patê francês Foie-Gras já foi proibida em vários países .
Ovos e leite, qual é o problema ?
Ovos
- Galinhas : uso de chocadeiras. Muito pequenos para serem criados para a indústria de frango, os pintinhos machos são descartados em larga escala após saírem da casca.
Debicagem e confinamento das galinhas que ficam amontoadas em minúsculas gaiolas de arame empilhadas chamadas de gaiolas em bateria, sem poder sequer abrir suas asas. Estresse da super população.
Envio da galinha para o matadouro quando a capacidade de produzir ovos diminui.
Isto também acontece nos casos em que as galinhas são criadas em galpões sem gaiolas.
Leite
- Vacas : inseminação artificial e sucessivas gestações para ordenha. Separação da mãe e o bebê. O bezerro é retirado da vaca em até 48 horas (angústia) para que o leite seja desviado para consumo humano.
As vacas também são enviadas para o abate quando a produção de leite diminui.
- Bezerros (vitela é o nome dado a carne de bezerro) : confinamento em baias individuais estreitas onde o bezerro proveniente da indústria leiteira fica imobilizado (impedido de se virar) para não criar músculos. Dieta carente de ferro para produzir carne de cor clara para atender o mercado de luxo.

Como vimos, a produção de leite e ovos também implica em mortes.
Vacas exaustas são transformadas em hambúrguer e galinhas em sopa.

Todos os animais, mesmo os que não são criados em confinamento intensivo, são transportados para o frigorífico e mortos em idade precoce. Vivem apenas uma pequena fração de tempo de sua expectativa de vida. Os frangos, por exemplo, são abatidos com apenas 40 dias de vida.

Os animais tem a capacidade de sentir
Até os cientistas já reconheceram o que todo mundo já sabia.
Os animais são sencientes. Eles têm sensibilidade e consciência.
Percebem o ambiente ao redor e tem consciência da própria dor. Inclusive os peixes.
Assim como os humanos, eles não querem sentir dor. Desejam permanecer vivos.
Estes interesses básicos são ignorados pelo agronegócio. Os animais são tratados como coisas.

Consciência e responsabilidade
A maioria de nós não mataria um porco para comer na próxima refeição.
Nossa consciência não permitiria tamanha violência.
Então não devemos pagar para que outros matem sem que a gente veja.
Não podemos permitir que esta brutalidade seja feita com nosso apoio financeiro.
Diferentemente dos carnívoros, nós como onívoros não precisamos comer animais para sobreviver.
Impor sofrimento desnecessário aos animais não é certo.
Procure se informar sobre nutrição vegetariana.

Como deter a violência deste setor ?
O certo a se fazer é adotar uma dieta totalmente vegetariana (vegana) sem produtos de origem animal como : carnes (todas), laticínios e ovos.
E parar de comprar produtos feitos com couro animal.

Ana Claudia Corrêa
Educadora vegana e ativista pelos direitos dos animais.
www.natureba.com.br