PENSAMENTO CRÍTICO

Na infância comemos a carne que os pais colocavam no nosso prato e achando que ela é necessária, seguimos comendo sem pensar na origem da carne. Redes de lanchonetes de fast-food atraem crianças com brinquedinhos para vender seus lanches. Somos bombardeados por anúncios de produtos animais que sutilmente desestimulam o pensar. Uma das táticas usadas para tentar nos influenciar é a do “Maria-vai-com-as-outras”, ou seja, não pense e não escolha, seja um seguidor, consuma o que “todo mundo” da propaganda está consumindo. Continue a beber o leite de outra espécie como se isto fosse natural e a comer animais como se isto fosse necessário para a saúde. Esta indústria dita que temos que comer perú no Natal. Embora seja mais fácil não pensar por conta própria, não podemos aceitar o papel de não pensar. Mesmo que a nossa sociedade tenha o costume, ache normal e permita o hábito de comer animais em churrascos e feijoadas; temos a liberdade e o poder de escolher e decidir por uma alimentação conforme nossos valores e o princípio de respeito à vida.

 

Na matança de animais a consciência é tão diluída que ninguém se sente responsável :
O presidente do frigorífico diz que tem que se orientar para a eficiência e os interesses dos acionistas.
Os acionistas minoritários dizem que só investem o dinheiro e desconhecem as operações. O governo idem.
O funcionário do abate, também explorado e sujeito a acidentes, diz que só faz o seu trabalho.
O gerente de marketing diz que só faz o matadouro parecer bonzinho. O artista diz que só faz a propaganda.
O mercado, o açougue e a lanchonete; todos dizem que só vendem a carne.
O consumidor diz que não mata, só compra o produto. Um médico (desatualizado / despreparado) falou na TV para comer carne.
E que nem imaginava que os animais tem uma vida tão curta e miserável nos confinamentos intensivos.
E as corporações bilionárias sem coração continuam explorando os animais,tentando nos confundir e prosperando.

 

Quando assumirmos que cada indivíduo tem importância sagrada,
não existirão mais as insanas matanças em larga escala como matadouros e guerras.

A Grande Batalha : o Mal x o Bem

MAL BEM
mentiras a verdade
matança a vida
destruição a criação
descaso, indiferença o amor, a compaixão
desrespeito / a violência o respeito / a não-violência
injustiça a justiça
egoísmo a fraternidade
guerra, intolerância a paz