PERFIL VEGETARIANO

Olá,
Compartilho minha experiência no estilo de vida vegano.

Sou Ana Claudia Corrêa.
Ativista pelos direitos dos animais.
Editora do portal Natureba.
Missão: difundir o vegetarianismo através da educação.

Adoto dieta vegana e natural.
Assisto aos seminários da SVB.
Fui ao Encontro Nacional dos Direitos Animais.
Fiz um vídeo sobre Defesa Animal e Veganismo baseado no livro Jaulas Vazias de Tom Regan.
Leio muito sobre libertação animal. Todos os assuntos do interesse dos bois me interesssam.
-------------------

Eu não nasci vegetariana por influência do mundo em que vivemos.
Conforme meu conhecimento nutricional foi aumentando, fui me libertando de comer carne.
Na infância eu comia a carne que a minha mãe colocava no prato.
Na adolescência eu frequentava lanchonetes de fast-food, seguindo a maioria sem pensar no assunto.
Na época de estágio em RH, perguntei para a nutricionista do bandejão industrial,
se eu poderia parar de comer carne e ela disse que não, alegando que faltariam nutrientes.
Mas lendo revistas femininas que pregavam a dieta do filé de frango, peito de perú e peixe,
percebi que eu não precisava comer carne vermelha já condenada naquela época.
Foi um primeiro alívio poder poupar porcos e bovinos.
Mal sabia eu que os frangos recebem antibióticos,
que embutidos levam agentes cancerígenos como nitritos ou nitratos
e que os peixes podem carregar resíduos de metais pesados como o mercúrio que se acumulam no organismo.
Eu comia ovos e nem imaginava que as galinhas vivem em gaiolas empilhadas super-lotadas,
como vi em um programa rural na TV.

Visitando o site do Instituto Nina Rosa conheci a dura realidade que os animais enfrentam
e parei de comer carne por conta própria ficando somente com o peixe, por via das dúvidas, até o final da gravidez.
--------------------
Maternidade
Como muita gente sabe, as futuras mamães são orientadas a suplementar o ácido fólico.
Suplementar a vitamina B12 antes da gravidez é igualmente importante para evitar a má formação fetal.
Nesta fase não fiz uma avaliação sanguínea. Eu comprava um polivitamínico.

Tive bastante leite e não precisamos recorrer aos leites com fórmulas específicas para bebês. Amamentei meu filho por quase 1 ano e meio.

Independente da dieta, onívora ou vegetariana, toda mulher durante a gravidez e lactação, utiliza um suplemento vitamínico-mineral completo receitado pelo obstetra.
E toda criança de 6 meses aos 2 anos de idade, suplementa o ferro, conforme orientação do pediatra.

Segurança Nutricional
Para mais tranqüilidade, fizemos consulta com um médico nutrólogo especialista em dietas vegetarianas, o Dr. Eric Slywitch.
Também li seus livros e aprendi bastante.
Não comer animais era um desejo antigo e foi bom finalmente ter o aval de um profissional de saúde para a minha escolha alimentar.
Fui orientada por exemplo a usar uma fruta rica em vitamina C para aumentar a absorção do ferro da refeição
e a deixar os feijões e cereais integrais de molho por pelo menos 8 hs e depois jogar esta água fora para reduzir o teor de anti-nutrientes.

Eu e meu filho fazemos uso contínuo de um suplemento oral de vitamina B12, somente uma vez por semana.
São feitos em farmácia de manipulação e o custo é baixo. Meu nível de B12 está nas alturas.

Minhas fontes de ferro e cálcio são os feijões (leguminosas), as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), sementes e vegetais verdes-escuros.
O zinco vem dos alimentos integrais, feijões e castanhas. O ômega 3 vem da linhaça. A proteína do consumo de feijão e arroz.

Após meu corpo passar pela extenuante experiência da maternidade, de gerar, dar à luz, amamentar e cuidar do meu nenê,
felizmente não tive anemia mas o médico receitou um suplemento de ferro para melhorar meu estoque no organismo.
Li que 1/3 da população mundial tem carência deste mineral. Por isso, vale a pena verificar os níveis de ferro antes de se tornar vegetariano
para depois não jogar a culpa na retirada da carne da dieta.
--------------------

Veganismo pelos Animais
Para produzir leite, as vacas passam por sucessivas gestações e terminam no abatedouro.
Bem informada sobre nutrição, era hora de eu deixar as vacas em paz, largar o leite e me despedir dos derivados.

Passei a usar leite e queijo de soja. O tofu, neutro e versátil, pega o sabor do tempero a gosto, doce ou salgado.
Algumas sorveterias convencionais oferecem sorvete de açaí sem leite e sorvetes de frutas a base de água, agradando veganos e intolerantes à lactose.
Consumo um pouco de chocolate amargo, às vezes de sobremesa quando vou ao shopping.
No começo da transição eu sentia vontade de tomar sorvete de iogurte. Eu dava só algumas colheradas e hoje em dia eu não suporto. Meu organismo e paladar mudaram.
Em casa faço pizza de frigideira. Em restaurantes eu peço pizza de vegetais sem mussarela (muito oleosa).
Se for pensar bem, não é natural tomar leite de uma outra espécie.

Como exclui todos os alimentos de origem animal, precisei de outras fontes da vitamina D como o sol e os alimentos fortificados observando os rótulos.
Procuro expor minha pele ao sol por uns 15 minutos sem filtro solar, 3 vezes por semana.

Bebida com B12
Eu não me adaptei ao sabor dos leites de soja tipo longa vida. Adoro e uso um leite de soja em pó sem lactose enriquecido com cálcio. O problema é o preço alto.
Para a vida prática do vegetariano, penso que falta no mercado um leite vegetal gostoso e barato enriquecido com cálcio, vitamina D e principalmente a dose diária de vitamina B12 para adultos e crianças.

Dieta vegana naturalista
Com ela mantenho o mesmo peso de 20 anos atrás (53 quilos em 1,73m de altura).
Posso comer bastante frutas, verduras, legumes, cereais integrais e feijões sem me preocupar com as calorias dos alimentos. Só não dá pra abusar das castanhas.
Não como frituras e evito alimentos muito processados com compostos químicos.
A dieta vegana é muito diversificada e na minha opinião de qualidade superior em termos de saúde.
Pratico musculação, me sinto forte, jovem e saudável.

Compras em São Paulo
As castanhas (oleaginosas) geralmente são muito caras nos super mercados. Então eu as compro na zona cerealista no Brás ou em mercados municipais.
Hortaliças orgânicas eu encontro nas feirinhas ou no mercado.
Já as frutas eu compro toda semana na feira.
Acho tofu em lojas de alimentos orientais.

Faz muito tempo que não compro sapato ou bolsa de couro animal.
Uso de outros materiais como : lona, borracha, plástico, couro sintético, etc.
--------------------

Hoje em dia
Para quem quer virar vegetariano ficou mais fácil e rápido.
Não faltam informações sobre esta dieta.
Sabemos que o homem como onívoro pode optar por comer ou não comer carne.
Associações dietéticas internacionais e no Brasil apoiam dietas vegetarianas bem planejadas.
Esperamos que os nutricionistas e profissionais de saúde se atualizem e respeitem nossa opção alimentar.
--------------------

Ativismo
Para começar gostaria de ver conquistas como o fim das touradas, da caça às baleias e focas,
das indústrias de peles, das "carrocinhas" que persistem, dos confinamentos (porcas, galinhas, etc),
dos testes em animais (antiquados, cruéis e desnecessários)
e de outras tantas barbaridades que deveriam fazer parte somente do passado.
Para defender os animais precisamos pressionar por mudanças e prestigiar manifestações pacíficas nas ruas ou pela Internet.
Poupar os animais da exploração começa com a escolha do que colocamos no prato.
--------------------

Minha Dieta
Café da manhã : Leite de soja em pó (com cálcio) com 1 colherzinha de café granulado ou cevada, 2 colheres de aveia e linhaça triturada.
Pão integral com tofu e geléia orgânica ou margarina vegetal.

Lanche da manhã : 1 fruta

Almoço : arroz (integral, preto, risoto, sushi, multi-grãos ou quinua),
feijão (marrom, preto, branco, fradinho, azuki), legumes e verduras (verde-escuras de preferência).
Frutas frescas e secas. Como prato recheado com carne de soja (PTS) no restaurante para variar.

Lanches da tarde : banana, pão integral, castanhas com frutas, etc.

Jantar : hortaliças e lentilha com arroz, ervilha fresca com milho, sopa de ervilha, pasta de grão-de-bico (homus) no pão sírio integral,
macarrão integral (molho de tomates, tofu e azeitonas), sanduíche natural de tofu temperado e vegetais crus,
yakissoba ou mix de legumes cozidos.
E mais frutas.
-------------------

No portal Natureba você encontra bons motivos para ser vegetariano, dicas de especialistas em nutrição,
receitas vegetarianas com idéias de cardápio e educação ambiental.

Um abraço,
Ana Claudia Corrêa
Educadora Vegana
MBA em e-Business UFRJ
www.natureba.com.br
Vitrine Serviços de Informações