Natureba

Europa deve endurecer regras para uso de antibióticos na pecuária

Para combater o crescimento de infecções por BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES, a União Europeia vai endurecer suas regras para o uso de antibióticos na agropecuária. Estima-se que a aplicação veterinária corresponda a 70% do consumo de antimicrobianos na região.

Recentemente, o Parlamento Europeu aprovou dois projetos que combatem a aplicação intensiva dessas substâncias em animais usados para consumo humano. Uma das principais medidas será a proibição do uso de certas classes de antibióticos em animais, ficando seu uso restrito apenas a humanos. 

Além de banir o uso de antibióticos para auxiliar o crescimento de animais, os 28 países do bloco também devem proibir o uso preventivo desses medicamentos nos bichos. Atualmente, em muitos rebanhos e criações de aves são administrados antibióticos mesmo em animais saudáveis, como forma de evitar a proliferação de possíveis infecções. As novas diretrizes determinam que os antibióticos devem ser usados apenas nos animais doentes, mediante a prescrição e a justificativa de um veterinário. O uso coletivo em vários animais de um mesmo rebanho ou criação só será permitido em casos muito específicos.

O uso veterinário intensivo contribui para a seleção de cepas de bactérias cada vez mais resistentes. Segundo a OMS, infecções por bactérias
 multirresistentes vêm se agravando, com 700 mil mortes por ano em todo o planeta. Dados do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) indicam que cerca de 33.000 pessoas morrem por ano no continente em decorrência de infecções por super bactérias, superando o número de vítimas de influenza, tuberculose e de HIV/aids juntas.

Fonte : Medscape, dezembro 2018.
Acesso em maio, 2019.
 

Alimentação baseada em fontes vegetais